Algodão transgénico beneficia socialmente as mulheres na Colômbia

Cultivo de algodão geneticamente modificado beneficia socialmente as mulheres na Colômbia

SciDev – 26 Setembro 2011

Um estudo sócio-económico sobre a relevância das culturas de algodão geneticamente modificado (GM) para as mulheres da Colômbia, realizado por investigadores do IFPRI – International Food Policy Research Institute -, revelou que aquelas culturas têm um impacto muito positivo nas suas vidas.

As mulheres entrevistadas disseram que o algodão geneticamente modificado que cultivam lhes poupa tempo e dinheiro, pois são mais fáceis de manusear  e evitam custos com os insecticidas e mão de obra para os aplicar nas culturas. Desta forma essas mulheres têm mais tempo livre para dedicar a outras actividades e às suas famílias.

Jonathan Gressel, professor de ciências das plantas no Instituto Weizmann de Ciências, de Israel, comentou este estudo explicando que  a melhor forma de dar poder de decisão às mulheres é dando-lhes mais tempo para aumentarem os seus conhecimentos nas escolas e para actividades comerciais. O valor agregado às potencialidades das culturas GM contribui para que a mulher agricultora se torne mais independente.

Download do estudo do IFPRI

Women Cotton Farmers Their Perceptions and Experiences with Transgenic Varieties

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s