4 Dezembro, Lisboa – Biossegurança e OGM – Palestra e Debate

Palestra e Debate 

A importância do ambiente regulatório
para a adoção da biotecnologia moderna:
o exemplo Brasileiro

4 Dezembro 2012 – 15h

FLAD – Fundação para o Desenvolvimento Luso-Americano, Lisboa

Entrada Livre – Inscrição Obrigatória
(Enviar Nome e Contacto para o e-mail – cib@cibpt.org) 

 

 

PROGRAMA

15.00 – Recepção

15h15 – Palestra “A importância do ambiente regulatório para a adoção da biotecnologia moderna: o exemplo Brasileiro” e Apresentação de Livro “Guia para a Avaliação do Risco Ambiental de Organismos Geneticamente Modificados” – Professor e Investigador Paulo Paes de Andrade

16.15 – Pausa para Café

16h45 – Painel de Comentadores com moderação por Sofia Frazoa (jornalista)

Comentadores:

Fátima Quedas (professora e investigadora de genética e melhoramento de plantas)

Vítor Faustino (sociólogo e investigador)

José Maria Falcão (agricultor)

17.30 – Debate alargado ao público com moderação por Sofia Frazoa (jornalista)

18.45 – Conclusão

—–

RESUMO

A importância do ambiente regulatório para a adoção da biotecnologia moderna: o exemplo Brasileiro

Apresentação por Paulo Paes de Andrade
Depto. Genética, Universidade Federal de Pernambuco, RECIFE, PE, Brasil

 

As discussões sobre a avaliação de risco dos organismos geneticamente modificados sempre foram permeadas por uma forte dose de ideologia e isto se refletiu na criação em muitos países de um arcabouço legal não condizente com o real nível de risco que estes organismos podem apresentar para o ambiente ou para a saúde humana.  Ao longo dos últimos 15 anos, contudo, a experiência acumulada pelos avaliadores de risco, tanto das agências governamentais como das empresas e instituições de pesquisa e ensino, levou à consolidação de um procedimento sistematizado e robusto para a avaliação de riscos de OGMs, em especial de plantas transgênicas.

Em resposta ao estabelecimento deste patamar seguro de avaliação, muitas agências de avaliação de risco e, em especial, aquelas de países produtores de plantas geneticamente modificadas, atualizaram seus procedimentos de avaliação de risco. Em alguns casos, o país e sua agência regulatória foram também beneficiados por novas leis, que eliminaram choques entre leis antigas e pavimentaram o caminho para a adoção da biotecnologia moderna, tanto na área agrícola como em muitas outras.

Apesar do inegável ganho econômico representado pela consolidação da sistemática de avaliação de risco, da modernização do arcabouço legal para a adoção de OGMs e do emprego extensivo destes produtos no avanço da economia do país, muitas vezes o custo do regulatório é ainda muito alto, o que cria obstáculos importantes para o desenvolvimento de tecnologia nacional e para a competitividade sadia entre empresas.

Nesta apresentação mostraremos o trajeto seguido pelo país para mudar sua posição de pequeno exportador de grãos para uma posição de liderança, assumindo desde 2010 a segunda posição na produção de grãos transgênicos no Mundo. Mostraremos também o que há ainda para ser alcançado e como esta experiência elucidadora pode trazer subsídios aos reguladores e administradores de Portugal, em Particular, e da Europa, em geral.

Contactos

CiB – Centro de Informação de Biotecnologia, Portugal
E-mail – cib@cibpt.org  ||    Tel. 00351 214 469 461  || Website – http://www.cibpt.org

 

Organização

ICAAM – Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais Mediterrânicas

CiB – Centro de Informação de Biotecnologia

Apoio

FLAD – Fundação para o desenvolvimento Luso-Americano

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s