Arquivo da categoria: Prémios

7 Mar | Prof. Montagu | “Pai” da 1º Planta Transgénica no ITQB, Oeiras

Marc Van Montagu
Marc Van Montagu | Por ViB

Seminário 
Plant Sciences: Discover, Innovate, communicate with Society
7 Março 2016 – 11h30 | Marc Van Montagu

O Professor Doutor Marc Van Montagu, considerado o “Pai” da primeira planta transgénica, estará em Portugal no próximo dia 7 de Março de 2016, pelas 11h30, para apresentar o seminário Plant Sciences: Discover, Innovate, communicate with Society, no ITQB NOVA, em Oeiras (na antiga Estação Agronómica Nacional).

Montagu e o seu colega Jeff Schell descobriram o mecanismo de transferência de genes entre a bactéria Agrobaterium e plantas, do que resultou o desenvolvimento da primeira planta transgénica. Essa descoberta abriu caminho para a tremenda evolução da investigação em Plantas durante as últimas três décadas. Em 2013, Marc Van Montagu recebeu o World Food Prize 2013, considerado um prémio equivalente a um “Nobel” na área da Alimentação e da Agricultura. O Professor Montagu é o mais reconhecido cientista vivo na área das Plantas.

Este seminário realiza-se no âmbito da Cerimónia de Abertura do 2º ano do Programa de Doutoramento “Plants for Life” do ITQB NOVA – Instituto de Tecnologia Química e Biológica da Universidade Nova de Lisboa.

A entrada é livre. Instruções para chegar ao ITQB AQUI

 

MAIS INFORMAÇÕES

Montagu-e-a-equipa-ha-30-anos-sofiafrazoa-2013
Fotografia de uma antiga foto de Marc Van Montagu e equipa de investigadores há mais de 30 anos | Por Sofia Frazoa, 2013

 

Anúncios

Concurso de Comunicação de Ciência – Plantas Transgénicas: 30 anos de Estórias


Concurso de Comunicação de Ciência
– Plantas Transgénicas: 30 anos de Estórias – 

Para alunos de Licenciatura ou Mestrado inscritos em Universidades Portuguesas

Entrega dos trabalhos até 27 Março de 2014

Inscrições Obrigatórias até 28 de Fevereiro de 2014

Mais informações

http://concurso30anosplantasgm.wordpress.com/

Poster Final Cores - 600x800

Fundação Gates contra a malária: 902 mil euros para Portugueses

icone_saude_final

Fundação Gates contra a malária
902 mil euros para Portugueses

Público – 21 Novembro 2013

Financiamento de 902 mil euros da Fundação Gates irá permitir a equipa internacional, liderada por laboratório português, continuar a testar uma potencial vacina com parasita transgénico, que já deu resultados preliminares positivos.

Uma vacina contra a malária está a ser concebida por portugueses desde 2010. Na altura, Miguel Prudêncio, investigador e líder de uma equipa no Instituto de Medicina Molecular (IMM), em Lisboa, recebeu 100 mil dólares da Fundação Bill & Melinda Gates depois de concorrer a um financiamento de Fase I do programa Grand Challenges Explorations. Agora, passados três anos, o investigador volta a ser premiado pela fundação, desta vez com 902 mil euros, para continuar o projecto. Se tudo correr bem, daqui a dois anos começarão os primeiros ensaios clínicos em humanos para testar uma candidata a vacina, cuja ideia nasceu em Portugal.

O conceito de Miguel Prudêncio é simples. É preciso um parasita da malária de roedores, que não causa a doença em humanos, mas interage o suficiente com o sistema imunitário para provocar a imunização. Depois, é preciso inserir um gene do parasita humano no parasita de roedores, para criar uma imunização dirigida à malária humana. A ideia funcionou. O novo financiamento da fase II vai servir agora para fazer as últimas experiências preliminares, desenvolver um método de produção in vitro do parasita de roedores e vai ajudar a fazer a aplicação do pedido para a realização de ensaios em humanos na Holanda. Miguel Prudêncio está esperançoso, mas o investigador sabe que ainda há muitos desafios para ultrapassar, ou não fosse esta uma doença muito complexa.

LER MAIS

Entrevista ao “pai” da 1ª planta transgénica: “A tecnologia OGM é como respirar”

Marc Van Montagu e a equipa de investigadores há 30 anos

Entrevista 

Marc Van Montagu
Cientista responsável pela criação da primeira planta transgénica

A tecnologia OGM é como respirar

Julho-Agosto 2013
Por Sofia Frazoa | Revista Vida Rural

Trinta anos depois de ter criado a primeira planta transgénica, o biólogo molecular belga Marc Van Montagu foi um dos laureados com o World Food Prize 2013. Apesar de ter esperado maiores avanços na aplicação da Tecnologia dos Organismos Geneticamente Modificados, acredita que algo está a mudar. Entrevistado no instituto que criou, em Ghent, na Bélgica, garantiu que os OGM são inofensivos e uma solução de futuro para a produção de alimentos para seres humanos e animais.

Ler Entrevista

Versão em PORTUGUÊS | Versão em INGLÊS

NOTA-CORRECÇÃO – Na versão Portuguesa, página 7, deve ler-se “A maior prova de que os OGM são inofensivos é o facto de serem cultivados desde 1994 [e não 2006] sem risco para a saúde humana e para o ambiente”.

Três investigadores em agrobiotecnologia laureados com o World Food Prize 2013

Comunicado

Três investigadores em agrobiotecnologia laureados
com o World Food Prize 2013

19 Junho 2013 – CiB Portugal

Há 30 anos, os “pais” das primeiras plantas transgénicas – Marc Van Montagu (Bélgica), Mary-Dell Chilton e Robert T. Fraley (Estados Unidos da América) apresentaram-nas ao mundo num congresso científico na Flórida (EUA). Hoje foram laureados com o World Food Prize 2013, considerado como o “prémio nobel” da área alimentar.

Ao longo das suas vidas os três investigadores deram contributos excepcionais para o desenvolvimento científico da moderna biotecnologia de plantas, abrindo portas para o melhoramento de culturas agrícolas que actualmente permitem alimentar o mundo de forma mais eficiente e sustentável.

Este prémio reconhece contribuições em áreas alimentares, como a ciência e a tecnologia alimentar e agrícola, a produção, o marketing, a nutrição, a economia, a redução da pobreza, a liderança política e as ciências sociais.

Laureados com o World Food Prize 2013: Marc Van Montagu, Mary-Dell Chilton e Robert T. Fraley
Laureados com o World Food Prize 2013: Marc Van Montagu, Mary-Dell Chilton e Robert T. Fraley

Durante o anúncio, Kenneth M. Quinn, presidente do World Food Prize, destacou o impacto e o potencial do trabalho dos três laureados. Declarou que os investigadores são reconhecidos pela sua independência e pelas suas concretizações individuais excepcionais na fundação, desenvolvimento e aplicação da moderna agrobiotecnologia. Quinn acrescentou ainda que o seu trabalho possibilitou aos agricultores produzirem culturas que apresentam maiores produtividades, resistência a insectos e a doenças e com a capacidade para tolerar variações extremas de clima.

O laureado Marc Van Montagu, declarou que este prémio reconhece concretizações preciosas para a sociedade. Montagu explica: “Estou muito honrado por ter sido laureado. Para mim, o prémio destaca a importância da tecnologia dos OGM [organismos geneticamente modificados] como contribuição para a produção alimentar sustentável. Ao mesmo tempo que me sinto satisfeito com o prémio, percebo que existe um longo caminho a percorrer antes de esta tecnologia ser completamente reconhecida para produzir culturas e variedades essenciais à segurança alimentar de pequenos agricultores nos países menos desenvolvidos. Espero que este prémio abra portas para a Europa abraçar os benefícios desta tecnologia, uma condição essencial para a aceitação global das plantas transgénicas.”.

Marc Van Montagu
Marc Van Montagu

O ano 2013 marca também o 60º aniversário da descoberta da dupla hélice da molécula de DNA por James Watson, Francis Crick and Morris Wilkins. Durante os últimos 60 anos, a ciência da genética molecular, também denominada como Nova Genética, abriu oportunidades fora do comum para moldarem o futuro da agricultura, da indústria, da medicina e da protecção do ambiente.

Foi com base nesse conhecimento que os três pioneiros – Van Montagu, Chilton e Fraley – conduziram, de forma independente uns dos outros, a investigação molecular que abriu caminhos para compreender o modo como uma bactéria poderia ser usada como ferramenta para a inserção de genes em células de plantas. Esse conhecimento contribuiu para o melhoramento genético de plantas com características muito interessantes para agricultura, a indústria, a medicina, a protecção ambiental e a alimentação.

As descobertas destes investigadores revolucionaram a biotecnologia – cada um eles a trabalhar em instituições diferentes –, pois desvendaram a forma de transformar células vegetais utilizando técnicas de DNA recombinante. A sua investigação é a base do desenvolvimento das culturas geneticamente modificadas – também conhecidas por culturas transgénicas – que em 2012 foram cultivadas em 170 milhões de hectares em todo o mundo, por 17,3 milhões de agricultores (sendo que 90 por cento são pequenos agricultores de países em desenvolvimento).

Mais informações

Novo Concurso Escolar – Planas Transgénicas: 30 anos de História(s)

Concurso

Plantas Transgénicas: 30 anos de História(s)

10º ao 12º Ano | Envio até 4 de Março de 2013

Em 1983, foram dadas a conhecer ao mundo as primeiras plantas geneticamente modificadas e em Janeiro de 2013 celebram-se os 30 anos deste marco histórico da Ciência e Tecnologia.

Para celebrar este momento, o CiB – Centro de Informação de Biotecnologia está a organizar o concurso “Plantas Transgénicas: 30 anos de História(s)” para alunos do Ensino Secundário ou equivalente, durante o ano lectivo 2012/2013.

Com este concurso o CiB pretende promover o conhecimento científico sobre a engenharia genética de plantas, as suas aplicações e sobre a história da produção desse conhecimento e estimular o interesse pela cultura científica e tecnológica, nomeadamente na área da biotecnologia verde e produção de plantas geneticamente modificadas, também conhecidas por plantas transgénicas.

MAIS INFORMAÇÕES

http://30anosplantastransgenicas.wordpress.com

Resultados do Concurso – BioNanotecnologia e Medicina: Novos Fármacos Novas Soluções

RESULTADOS
do Concurso

BioNanotecnologia e Medicina
Novos Fármacos Novas Soluções

31 Maio de 2012

 

O CiB – Centro de Informação de Biotecnologia informa todos os interessados que, após rigorosa avaliação dos trabalhos participantes no Concurso – BioNanotecnologia e Medicina: Novos Fármacos Novas Soluções, o júri tomou hoje, 31 de Maio de 2012, uma decisão final.

Foi decidido por unanimidade dos membros do júri atribuir os seguintes prémios:

1º Prémio

– Trabalho da Escola Secundária de Francisco Rodrigues Lobo, Leiria, da autoria da aluna Diana Soraia Pereira Fernandes, sob a orientação da professora Isabel Maria da Cunha Vieira.

2º Prémio

– Trabalho da Escola Secundária/3 do Morgado de Mateus, Vila Real, da autoria dos alunos Cátia Inês Teixeira da Silva Costa e André Martins Valente, sob orientação da professora Maria João Rodrigues da Silva

 Menção Honrosa

– Trabalho da Escola Secundária Raul Proença, Caldas da Rainha, da autoria das alunas Joana Morais Rodrigues Ferreira da Silva e Joana Raquel Lemos Santos, sob a orientação do professor Paulo Jorge Conceição Oliveira Ribeiro.

Os membros do júri seleccionaram os trabalhos vencedores tendo em consideração e dando igual importância aos seguintes aspectos: qualidade científica e linguística, coerência dos conteúdos, estrutura e organização dos trabalhos, objectividade, capacidade demonstrada na integração de conhecimentos provenientes de diferentes fontes, capacidade de reflexão sobre o tema e de argumentação, clareza e facilidade de leitura / visionamento, criatividade e genuinidade dos mesmos.

Agradecemos a todos os participantes e aos seus orientadores.

Muitos parabéns aos alunos e professores premiados!

O júri do concurso foi composto por quatro elementos:

– Pedro Fevereiro (investigador especialista em biotecnologia e bionanotecnologia e presidente da direcção do CiB)

– Abel González Oliva (investigador especialista em biotecnologia e bionanotecnologia)

– Sofia Duque (investigadora especialista em biotecnologia com experiência como professora de biologia do ensino básico e secundário)

– Rita Caré (especialista em comunicação e educação em ciência)

Segundo o ponto 10.4. do regulamento estipulado, das decisões do júri não haverá recurso.

Pedro Fevereiro
(Presidente da Direcção do CiB)

BioNanotecnologia – Investigadora Portuguesa premiada no Parlamento Britânico

BioNanotecnologia
Investigadora Portuguesa premiada no Parlamento Britânico

14 Março 2012 – Público P3


Nanotecnologia experimental para tratar corações doentes valeu à cientista de 26 anos o segundo prémio do SET for Britain de biomedicina.

Renata Gomes, de 26 anos, apresentou, na segunda-feira, um poster do seu projecto científico na Câmara dos Comuns, em Londres. A fazer o doutoramento na Universidade de Oxford, sob a supervisão de Lino Ferreira, do Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra, a jovem explicou a uma centena de pessoas e a um júri de cientistas e políticos a estratégia que está a desenvolver para promover, após um enfarte, a regeneração do tecido cardíaco.

A sua pesquisa acabaria por receber, entre 53 candidaturas, um Silver Certificate e 2000 libras esterlinas (2386 euros) no âmbito dos prémios Science, Engineering and Technology (SET) for Britain, organizados anualmente pela Comissão Parlamentar e Científica, que fomenta a comunicação entre cientistas e políticos.

A cientista – que nos disse ser a laureada mais jovem de sempre e a primeira a não ser só britânica – está a desenvolver novas terapêuticas à base de nanotecnologia. A ideia é introduzir pequenos fragmentos genéticos, chamados micro-ARN, nos tecidos cardíacos para aumentar a eficácia dos transplantes de células estaminais, capazes de regenerar o tecido afectado.

LER MAIS

Resultados do Concurso – AGROBIOTECNOLOGIA e BIODIVERSIDADE

Resultados do Concurso

– AGROBIOTECNOLOGIA
e BIODIVERSIDADE –

31 Maio de 2011

O CiB – Centro de Informação de Biotecnologia informa todos os interessados que, após rigorosa avaliação dos 14 trabalhos participantes no Concurso – AGROBIOTECNOLOGIA e BIODIVERSIDADE, o júri tomou hoje, 31 de Maio de 2011, uma decisão final.

Foi decidido por unanimidade dos membros do júri atribuir os seguintes prémios:

1º Prémio

– Trabalho da Escola Secundária Infanta D. Maria, Coimbra, da autoria dos alunos Bernardo Reis Prata, Diogo Monteiro Canhoto, Ricardo Ribeiro Guerra e Rui Encarnação Diogo sob a orientação da professora Ana Teles Furtado de Campos.

2º Prémio

– Trabalho da Escola Secundária com 3º Ciclo de José Estevão, Aveiro, da autoria dos alunos Ana Isabel Lopes Nascimento, João Soares de Moura e Viviane Reis Runa, sob orientação da professora Ana Flora Martins Esteves.

Menção Honrosa

– Trabalho da Escola Básica e Secundária Vieira de Araújo, Vieira do Minho, Braga, da autoria do aluno João Sousa Machado, sob a orientação da professora Cristina Sá Pinto.

Os membros do júri seleccionaram os trabalhos vencedores tendo em consideração e dando igual importância aos seguintes aspectos: qualidade científica, capacidade demonstrada na integração de conhecimentos provenientes de diferentes fontes, capacidade de reflexão sobre o tema, facilidade de leitura / viosionamento, criatividade, estrutura e organização dos trabalhos e genuinidade dos mesmos.

Agradecemos a todos os participantes ao concurso e aos seus orientadores.

Muitos parabéns aos alunos e professores premiados!

O júri do concurso foi composto por três elementos:

– Pedro Fevereiro (investigador especialista em biotecnologia de células vegetais e presidente da direcção do CiB)

– Sofia Duque (investigadora especialista em biotecnologia de células vegetais com experiência como professora de biologia do ensino básico e secundário)

– Rita Caré (especialista em comunicação e educação em ciência)

Segundo o ponto 10.4. do regulamento estipulado, das decisões do júri não haverá recurso.

Pedro Fevereiro
(Presidente da Direcção do CiB)

Agricultora Portuguesa recebeu Prémio Kleckner Trade and Technology Advancement 2010

Agricultora Portuguesa recebeu Prémio
Kleckner Trade and Technology Advancement 2010

13 Outubro 2010

Maria Gabriela Cruz, agricultora Portuguesa, recebeu o prestigiado Prémio Kleckner Trade and Technology Advancement 2010, pelo seu empenho na informação, apoio e defesa dos agricultores na adesão a novas culturas, práticas culturais e novas tecnologias, e ainda pelo seu esforço no sentido de mudar as atitudes dos governos Europeus que bloqueiam o acesso à liberdade de escolha dos agricultores para utilizarem produtos da biotecnologia, mais concretamente, as culturas geneticamente modificadas.

O Prémio, entregue pela Truth about Trade and Technology (TATT), procura reconhecer a capacidade de liderança, visão e determinação na defesa da liberdade de todos os agricultores escolherem as tecnologias e as ferramentas que promovam o aumento da qualidade, quantidade e disponibilidade de produtos agrícolas em todo o mundo.

Maria Gabriela Cruz é formada em Engenharia Agronómica pelo Instituto Superior de Agronomia de Lisboa e é presidente da APOSOLO – Associação Portuguesa de Mobilização de Conservação do Solo. Na sua exploração são utilizadas algumas das práticas e tecnologias agrícolas mais modernas ao seu dispor, com o objectivo de combater a erosão dos solos e de minimizar o impacto dos fitofarmacêuticos, que utiliza nas culturas, na saúde dos seus colaboradores e no ambiente.

LER mais ||| OUVIR Entrevista (em Inglês)

Concurso – PLANTAS TRANSGÉNICAS NO DIA-A-DIA

Concurso

PLANTAS TRANSGÉNICAS NO DIA-A-DIA

10º ao 12º Ano | Envio até 30 de Abril de 2009

cib-concursoplantastrangenicasnodiaadiablog

No ano em que se comemora o 25º aniversário da comprovação da transformação genética de plantas, o CiB – Centro de Informação de Biotecnologia está a promover o concurso “Plantas Transgénicas no Dia-a-Dia” destinado aos alunos do Ensino Secundário ou equivalente, durante o ano lectivo 2008/2009.

Serão seleccionados os três melhores trabalhos (em texto, áudio ou vídeo) enviados até 30 de Abril de 2009. Os premiados terão os seus trabalhos publicados e divulgados pelo CiB. Os prémios incluem leitores MP4 e vales-cheque destinados à aquisição de livros e material informático. Todos os alunos e professores premiados receberão um exemplar do livro “Biotechnology for Beginners” e um diploma.

O CiB pretende desta forma contribuir para a promoção do conhecimento científico sobre plantas geneticamente modificadas (conhecidas também como plantas transgénicas) e para o estímulo pela cultura científica e tecnológica, nomeadamente na área da biotecnologia vegetal e engenharia genética de plantas.

——

Regulamento do Concurso e Ficha de Inscrição

Cartaz de Divulgação A4 – Formato JPG