Gravação| Perdeu o webinar “Aplicações da edição do genoma na agricultura e na medicina”?

Para quem não teve oportunidade de assistir em direto ao webinar CiB sobre as “Aplicações da edição do genoma na produção de alimentos e na medicina”, no dia 16 de julho, disponibilizamos aqui a gravação do evento.

O CiB-Centro de Informação de Biotecnologia realizou, no dia 16 de julho, às 18h00, um debate online sobre a utilização da tecnologia de edição do genoma quer no desenvolvimento de novas terapêuticas moleculares, quer no desenvolvimento de variedades vegetais adaptadas às necessidades atuais de garantir a segurança e qualidade alimentares.

Moderado pelo Professor Doutor Pedro Fevereiro, biólogo, investigador e presidente da Direção do CiB, o evento contou com as intervenções do Professor Doutor António Vaz Carneiro, médico, especialista em Medicina Interna, Nefrologia e Farmacologia Clínica, presidente do Conselho Científico do Instituto de Saúde Baseado na Evidência, Ana Paula Carvalho, Engenheira Agrónoma, Subdiretora Geral da Direção-Geral de Alimentação e Veterinária – DGAV, a Professora Doutora Margarida Oliveira, bióloga, investigadora e diretora do laboratório de Genómica do Stress das Plantas e Professora Associada do ITQB NOVA e a Doutora Ana Sofia Coroadinha, bioquímica, investigadora e Professora Auxiliar do ITQB NOVA/IBET.

Durante uma hora e meia, estes especialistas deram resposta a questões como:
• O contínuo desenvolvimento de ferramentas moleculares para editar o genoma, o contínuo aumento do número de organismos sequenciados e o contínuo aumento da re-sequenciação (quer dos genomas humanos, quer de outras espécies, em particular das espécies agrícolas), permite prever uma nova era para as ciências biológicas?
• Estas ferramentas permitem responder a questões científicas que antes nos estavam vedadas?
• Existem já exemplos de como estas aplicações permitem produzir novos conhecimentos fundamentais?
• A utilização da edição do genoma para fins terapêuticos e para fins de produção alimentar coloca desafios éticos e regulamentares? Quais são esses desafios?
• São estes desafios diferentes dos que se colocavam antes do desenvolvimento desta tecnologia?
• Os utilizadores dos produtos desta tecnologia (ou conjunto de tecnologias) estão preparados para aceitar as suas aplicações?
• Existe uma diferença significativa no uso e na regulamentação destas aplicações quando se olha para o mundo da medicina (em particular da terapêutica) e para o mundo da produção alimentar?

Para quem não teve oportunidade de assistir em direto ao webinar CiB sobre as “Aplicações da edição do genoma na produção de alimentos e na medicina”, no dia 16 de julho, disponibilizamos aqui a gravação do evento.

Siga o CiB no Twitter, no Instagram, no Facebook e no LinkedIn. No CiB, comunicamos biotecnologia.

Webinar | Edição do genoma na produção de alimentos e na medicina

16 de julho 2020 |18H00

https://zoom.us/j/97188717142

O CiB-Centro de Informação de Biotecnologia realiza, no dia 16 de julho, às 18h00, um debate online sobre a utilização da tecnologia de edição do genoma quer no desenvolvimento de novas terapêuticas moleculares, quer no desenvolvimento de variedades vegetais adaptadas às necessidades atuais de garantir a segurança e qualidade alimentares.

Sob o tema “Edição do Genoma: Aplicações na produção de alimentos e na medicina”, este webinar contará com a intervenção de investigadoras da área da biologia vegetal e da área da saúde, um médico e uma responsável pela fiscalização do uso da tecnologia. Estes especialistas irão falar, à luz do conhecimento científico atual, das potencialidades da edição do genoma para a solução de diversos problemas na produção de alimentos – como a melhoria da qualidade ou o aumento da resistência a pragas e doenças – e na terapêutica, nomeadamente no tratamento e cura de doenças do foro genético.

Moderado pelo Professor Doutor Pedro Fevereiro, biólogo, investigador e presidente da Direção do CiB, o evento terá como participantes o Professor Doutor António Vaz Carneiro, médico, especialista em Medicina Interna, Nefrologia e Farmacologia Clínica, presidente do Conselho Científico do Instituto de Saúde Baseado na Evidência, a Engenheira Agrónoma Ana Paula Carvalho, Subdiretora Geral da Direção-Geral de Alimentação e Veterinária – DGAV, a Professora Doutora Margarida Oliveira, bióloga, investigadora e diretora do laboratório de Genómica do Stress das Plantas e Professora Associada do ITQB NOVA e a Doutora Ana Sofia Coroadinha, bioquímica, investigadora e Professora Auxiliar do ITQB NOVA/IBET.

Será uma sessão em direto e aberta a todos os interessados no tema.

16 de julho 2020 |18H00 | link de acesso: https://zoom.us/j/97188717142

Siga o CiB no Twitter, no Instagram, no Facebook e no LinkedIn. No CiB, comunicamos biotecnologia.

Webinar | “Edição do genoma: aplicações na produção de alimentos e na medicina”

O CiB-Centro de Informação de Biotecnologia realiza, no dia 16 de julho, às 18h00, um debate online sobre a utilização da tecnologia de edição do genoma quer no desenvolvimento de novas terapêuticas moleculares, quer no desenvolvimento de variedades vegetais adaptadas às necessidades atuais de garantir a segurança e qualidade alimentares.

Sob o tema “Edição do Genoma: Aplicações na produção de alimentos e na medicina”, este webinar contará com a intervenção de investigadoras da área da biologia vegetal e da área da saúde, um médico e uma responsável pela fiscalização do uso da tecnologia. Estes especialistas irão falar, à luz do conhecimento científico atual, das potencialidades da edição do genoma para a solução de diversos problemas na produção de alimentos – como a melhoria da qualidade ou o aumento da resistência a pragas e doenças – e na terapêutica, nomeadamente no tratamento e cura de doenças do foro genético.

Moderado pelo Professor Doutor Pedro Fevereiro, biólogo, investigador e presidente da Direção do CiB, o evento terá como participantes o Professor Doutor António Vaz Carneiro, médico, especialista em Medicina Interna, Nefrologia e Farmacologia Clínica, presidente do Conselho Científico do Instituto de Saúde Baseado na Evidência, Ana Paula Carvalho, Engenheira Agrónoma, Subdiretora Geral da Direção-Geral de Alimentação e Veterinária – DGAV, a Professora Doutora Margarida Oliveira, bióloga, investigadora e diretora do laboratório de Genómica do Stress das Plantas e Professora Associada do ITQB NOVA e a Doutora Ana Sofia Coroadinha, bioquímica, investigadora e Professora Auxiliar do ITQB NOVA/IBET.

Será uma sessão em direto e aberta a todos os interessados no tema.

SAVE THE DATE: 16 de julho, às 18h00. Brevemente será divulgado link de acesso.

Edição do genoma | Lista de produtos e projetos de investigação

crisprd3

A edição do genoma é uma ferramenta tecnológica com potencial para solucionar problemas e responder a necessidades diversas nas áreas da agricultura, indústria e saúde. Não é de estranhar, por isso, que por todo o mundo os investigadores estejam a usar esta tecnologia para desenvolver múltiplos projetos e produtos biotecnológicos.

Existem mais de 200 produtos e projetos de investigação relacionados com edição do genoma e
outras novas tecnologias genómicas (NGT-New Genomics Technologies). Saiba
quais, nesta lista compilada pela EuropaBio, o maior grupo de indústrias de biotecnologia da Europa.

Siga o CiB no Twitter, no Instagram, no Facebook e no LinkedIn. No CiB, comunicamos biotecnologia.

#CiênciaExplica | “Afinal, podemos ou não viver sem vegetais geneticamente modificados? “

Pedro Fevereiro no programa em direto #CiênciaExplica, da Exame Informática

Em entrevista ao jornalista Hugo Séneca, da Exame Informática, o biólogo Pedro Fevereiro, presidente da Direção do CiB-Centro de Informação de Biotecnologia, CEO do novo Laboratório Colaborativo InnovPlantProtec e investigador do ITQB NOVA, explica, de forma simples e acessível a leigos nesta área, como é que as novas tecnologias genómicas de melhoramento de plantas, entre as quais a edição de genomas, e a já “velhinha” tecnologia dos OGM podem dar um contributo decisivo para eliminar algumas das maiores pragas que afetam culturas importantes em Portugal como o milho, a pera rocha e o olival.

Assista aqui à entrevista.

Siga o CiB no Twitter, no Instagram, no Facebook e no LinkedIn. No CiB, comunicamos biotecnologia.

Pragas e doenças|”Temos três anos para conseguir pelo menos duas soluções capazes de funcionar em condições reais”

“Há novas pragas e doenças para as quais não existe atualmente nenhuma planta resistente e nenhum pesticida que as consiga controlar”. – Parte de um excerto da entrevista de Pedro Fevereiro, diretor-geral executivo do Laboratório Colaborativo InnovPlantProtect (InPP), na edição de maio da Voz do Campo.  

Leia o excerto completo, publicado na edição online da revista a 12 de maio.

Siga o CiB no Twitter, no Instagram, no Facebook e no LinkedIn. No CiB, comunicamos biotecnologia.

 

Relatório | As contradições da UE sobre a aplicação da biotecnologia na agricultura

punho

De acordo com o relatório anual de Biotecnologia Agrícola, que acaba de ser publicado, “há mais de duas décadas que os consumidores europeus estão expostos a um constante medo infligido por grupos anti-biotecnologia”, resultando em opiniões negativas dos consumidores em relação aos produtos geneticamente modificados (GE). Realizado pelo USDA Foreign Agricultural Service para a União Europeia, este relatório, de março de 2020, diz que o cultivo comercial de variedades transgénicas na UE foi limitado a dois países – Portugal e Espanha – e a apenas um por cento da área total de milho da UE (112 mil hectares na Península Ibérica). A variedade única autorizada para cultivo em Portugal e Espanha é proibida em todos ou em parte dos 19 Estados-Membros da União Europeia.

Segundo o relatório, a UE não exporta produtos geneticamente modificados, no entanto, importa anualmente mais de 30 milhões de toneladas de produtos de soja, entre 10 a 20 milhões de toneladas de produtos de milho e entre 2,5 a 5 milhões de toneladas de produtos de colza, principalmente para alimentação. A participação dos produtos geneticamente modificados no total de importações é estimada em 90 a 95% para os produtos de soja, pouco mais de 20% para o milho e menos de 25% para a colza.

Pode ler-se ainda no relatório que a estrutura política da UE para biotecnologia, desenvolvida com a forte influência de ativistas simpatizantes do movimento antiglobalização, cria uma carga regulatória desnecessária que não melhora a proteção do consumidor e não leva em consideração o conhecimento científico atual.

Veja-se o que aconteceu em julho de 2018, quando o Tribunal de Justiça Europeu decidiu que, no território da UE, os organismos criados com recurso a ferramentas biotecnológicas inovadoras deveriam ser regulamentados como organismos geneticamente modificados. Desde então, as partes interessadas que defendem a biotecnologia agrícola na UE são investigadores e profissionais do setor agrícola, incluindo agricultores, empresas de sementes e representantes da cadeia de fornecimento.

A decisão levou a União Europeia a solicitar à Comissão a realização de um estudo que clarificasse a situação.

Para informações mais detalhadas, leia o último relatório de Biotecnologia Agrícola.

Siga o CiB no Twitter, no Instagram, no Facebook e no LinkedIn. No CiB, comunicamos biotecnologia.

Edição do genoma | CRISPR-Cas12b é a nova ferramenta CRISPR 3 em 1

CRISPR-Cas12b
Créditos: National Institutes of Healthn

A maior parte das pessoas que já ouviram falar em CRISPR pensa em CRISPR-Cas9. No entanto, investigadores da Universidade de Maryland, nos EUA, estabeleceram um novo sistema CRISPR para a edição do genoma de plantas. O CRISPR-Cas12b é versátil, personalizável e permite a edição, a ativação e a repressão eficaz de genes. Tudo, num único sistema.

Liderada por Yiping Qi, a equipa de investigadores da Universidade de Maryland, nos EUA, está constantemente a explorar novas ferramentas CRISPR mais eficazes, mais eficientes e mais sofisticadas para ajudar a controlar as doenças e pragas em diferentes culturas agrícolas e a mitigar os efeitos das alterações climáticas. Numa publicação na Nature Plants, estes investigadores estabeleceram, pela primeira vez, um novo sistema CRISPR para edição do genoma de plantas. Chama-se CRISPR-Cas12b e além de versátil e personalizável, é uma espécie de três em um: edita, ativa e reprime os genes. Tudo isto num único sistema.

Segundo Qi, esta é a primeira demonstração do CRISPR-Cas12b para edição do genoma de plantas focado não apenas na edição, mas também na ativação e repressão dos genes – este conjunto completo de métodos não está presente noutros sistemas CRISPR para aplicação em plantas como o CRISPR-Cas9 e o CRISPR-Cas12a.

Embora o CRISPR-Ca12a seja muito semelhante ao CRISPR-Cas12b, nunca demonstrou uma forte capacidade na ativação de genes em plantas. Já o CRISPR-Cas12b é mais eficiente na ativação de genes e permite locais de segmentação mais amplos para a repressão genética, tornando-o útil nos casos em que a expressão genética de uma característica precisa de ser ativada, desativada ou recusada. Esta capacidade confere ao CRISPR-Cas12b uma vantagem sobre o CRISPR-Cas12a, principalmente quando a ativação do gene é o objetivo. O CRISPR-Cas12b mantém aquilo que o CRISPR-Cas12a poderia fazer pelas plantas, incluindo a capacidade de personalizar cortes e a regulação de genes numa ampla gama de aplicações.

Qi e a sua equipa foram capazes de redirecionar o sistema CRISPR-Cas12b para a edição do genoma multiplexado, possibilitando o direcionar múltiplos genes em simultâneo numa única etapa.

Mais informações na Nature Plants e no comunicado de imprensa da Universidade de Maryland

Siga o CiB no Twitter, no Instagram, no Facebook e no LinkedIn. No CiB, comunicamos biotecnologia.

 

 

Biotecnologia | Edição de genoma será um marco na agricultura moderna

CropLife
A sequência de um genoma vegetal é semelhante a uma biblioteca de letras. Dentro desta biblioteca de letras, há uma pequena proporção que corresponde a genes ou sequências com alguma função.

“A edição do genoma nas plantas é alcançada graças à biotecnologia de precisão e visa ser um marco significativo na agricultura moderna.

Atualmente, existem pedidos de permissão para vender tomate, arroz, milho, trigo, soja e cogumelos nos Estados Unidos. A edição genética promete mudanças nutricionais, como a produção de trigo sem glúten ou a redução de gorduras trans nos óleos de soja. Em que consiste?”

Está tudo explicado  aqui, no site da CropLife da América Latina.

Siga o CiB no Twitter, Instagram, Facebook e LinkedIn. No CiB, comunicamos biotecnologia.

Media|CiB promove ação de formação sobre edição do genoma

crispr
Créditos da imagem: Natali_Mis

Tal como em anos anteriores, o CiB-Centro de Informação de Biotecnologia vai realizar mais um workshop de formação para jornalistas e comunicadores de ciência, desta vez sobre “Edição do genoma- aplicações na medicina e na produção de alimentos”. Esta ação de formação terá lugar na manhã do dia 18 de novembro, no ITQB NOVA, em Oeiras, e contará como formadores Ana Sofia Coroadinha e Pedro Fevereiro, investigadores e professores auxiliares no ITQB NOVA.

O CiB – Centro de Informação de Biotecnologia convida todos os jornalistas, em especial os que trabalham na área da medicina, agricultura, nutrição e ambiente, a participar no workshop de formação para jornalistas sobre “Edição de genomas – aplicações na medicina e na alimentação”, que se realizará no dia 18 de novembro, entre as 11:00H e as 13:00H, no 4º piso do ITQB NOVA-Instituto de Biotecnologia Química e Biológica António Xavier, da Universidade Nova de Lisboa, em Oeiras.

A formação aos jornalistas estará a cargo de Ana Sofia Coroadinha, Professora Auxiliar e investigadora no ITQB NOVA/IBET, que irá falar sobre “As potencialidades da edição de DNA na cura de doenças genéticas”, e de Pedro Fevereiro, Professor Auxiliar e investigador no ITQB NOVA, com o tema “CRISPR-Cas9 e outras ferramentas de edição de genomas para uma produção de alimentos mais sustentável.”

A edição de genomas é um tema controverso, não obstante os resultados bastante promissores em diferentes áreas de aplicação. Na medicina, permite perspetivar a correção de 89% das doenças genéticas humanas conhecidas. Na agricultura, esta tecnologia garante uma produção mais sustentável de alimentos e um aumento da eficiência do melhoramento vegetal, o que, atualmente, se afigura pertinente e da maior importância para fazer face aos efeitos das alterações climáticas e do aumento da população mundial. A edição de genomas é apontada pelos investigadores como uma das chaves cruciais para muitos dos problemas relacionados com a medicina, produção de alimentos e ambiente.

Sobre os oradores:

Ana Sofia Coroadinha é Professora Auxiliar no ITQB NOVA/IBET, tendo como principal área de investigação o desenvolvimento e aprimoramento de linhas de células animais para a produção de biofármacos complexos, como proteínas recombinantes e partículas virais recombinantes para vacinas e terapia genética.

Pedro Fevereiro é Professor Auxiliar com Agregação do Departamento de Biologia Vegetal na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e diretor do Laboratório de Biotecnologia de Células Vegetais no ITQB NOVA, tendo como áreas de investigação a Biotecnologia Vegetal, Engenharia Genética Vegetal, Diversidade Molecular e Genética de Plantas e Purificação e Caracterização de Enzimas Vegetais

 

Localização do ITQB Nova:

Avenida da República, Oeiras

http://www.itqb.unl.pt/contacts/itqb_location

Para mais informações e confirmação de presença, por favor contacte:

Carla Amaro

Gabinete de Comunicação | Communication Office

Logo CIB 4 cores png.png

CiB – Centro de Informação de Biotecnologia, Portugal
E-mail – gabcom@cibpt.org

Tel. +351 21 446 9768 // +351 91 266 3482

Website || Blog || Twitter || Facebook