OGM | Novas variedades para a cidade… e espaço

Triple-determinate-mutations-Lippman
Quando três mutações genéticas específicas são combinadas e ajustadas da maneira certa, os investigadores podem transformar plantas de tomate em arbustos extremamente compactos, ideais para a agricultura urbana.

Investigadores do laboratório nova iorquino Cold Spring Harbor (CSH) criaram uma variedade de tomate geneticamente modificado para ser cultivado em ambientes urbanos ou locais desadequados ao crescimento de plantas, como o espaço.

Incrível, mas é verdade. E o melhor é que os cientistas não querem ficar-se pelo tomate. O objetivo é criar mais variedades GM de outros alimentos.

Leia o artigo científico na Nature Biotechnology (https://lnkd.in/ewBu9CX) ou o comunicado do laboratório CSH (https://bit.ly/36WcUqf)

Tomate | Ácido ou picante?


Créditos da imagem: Tracie Hall/Flickr

Já imaginou um tomate picante? Com a engenharia genética e as mexidas certas nos genes do tomate é possível criar um fruto capaz de incendiar a boca dos aficionados de comida hiper-picante. A co-habitação ancestral do tomate com pimentas, como o jalapeno, facilita o processo.

A motivação para tornar o tomate picante não é apenas gastronómica, é também terapêutica, uma vez que o capsaína – químico que confere aos alimentos o sabor picante – tem-se mostrado promissor como analgésico, sendo até usado em produtos como o spray de pimenta. A estas vantagens acresce outra: o tomate é mais fácil de cultivar e mais produtivo do que as pimentas, pelo que, ao ajustar os genes do tomate para que produza capsaína, os investigadores poderiam ajudar os agricultores a aumentar os ganhos e a reduzir os custos de produção.

Num estudo publicado recentemente na revista Trends in Plant Science, os investigadores descrevem dois caminhos genéticos para conferir ao tomate o sabor picante das pimentas mais fortes. Saiba quais, aqui.  

Siga o CiB no Twitter @cibpt e no Facebook @cib.portugal.